Homem mata as duas filhas e depois comete suicídio

Homem mata as duas filhas e depois comete suicídio  Tudo isso aconteceu no Paraná, onde moradores da Rua Rui Barbosa, no Bairro Vargem Grande, em Pinhais, ficaram chocados com um crime registrado na noite de ontem (18) em uma residência. Um pai matou as duas filhas enforcadas, filmou tudo e em seguida cometeu suicídio.

Antes de cometer o crime, Gilson Luiz Sholles, 43 anos, teria feito várias ameaças à ex-mulher. Os dois terminaram o relacionamento há aproximadamente um mês e o homem não aceitava o fim. Na tarde de ontem, moradores ouviram gritos das meninas, uma de 3 e outra de 5 anos, filhas de Gilson. Elas foram passar o dia com o pai, que morava bem próximo à casa da mãe das garotas. Apesar do barulho, os vizinhos acharam que era algo normal e pensaram que as meninas estavam brincando.

Por volta das 21h, um morador encontrou Gilson morto na entrada da casa, que ainda estava em construção. O homem não entrou na residência e chamou a Guarda Municipal de Pinhais. Quando os guardas chegaram, já foram recebidos também pela mãe das meninas, que os informou que o pai tinha ficado com as garotas o dia todo.

Notebook

Como se não bastasse a cena trágica que os guardas municipais encontraram na casa, pouco tempo depois, com a chegada da Polícia Militar e da perícia do Instituto de Criminalística, a polícia descobriu algo pior.

Os policiais encontraram aproximadamente cinco vídeos que mostravam, em diferentes momentos, a ação de Gilson dentro da casa. O computador foi apreendido e, junto com as imagens, deve ser analisado pela Polícia Civil.

Ameaças

Logo que chegou ao local do crime, a mãe das meninas contou aos guardas municipais e aos policiais militares que o ex-marido já tinha ameaçado matar as duas filhas e, inclusive, tinha tentado matá-la. Segundo a Guarda Municipal, a mulher chegou a fazer um boletim de ocorrência na delegacia de Pinhais no dia 5 de janeiro, depois que ele a estrangulou e, por não conseguir tirar a vida da ex, ameaçou se matar, mas levar junto as duas filhas.

Do boletim de ocorrência, a Justiça deu à mãe das meninas uma medida protetiva. A decisão saiu na última sexta-feira (16), conforme informou a GM. Gilson já não poderia se aproximar da ex-mulher. Segundo vizinhos, o homem era amoroso com as filhas e vivia com elas pelo bairro. Ninguém suspeitava que seria capaz de uma atrocidade sem tamanho. Na quarta-feira (14), Gilson ficou com as garotas.

Para a polícia, Gilson planejou todo o crime.

Passado

O homem, segundo os moradores, trabalhava como motorista de van escolar, mas a informação não foi confirmada pela polícia. Gilson mesmo trabalhava na construção da casa em que estava morando depois do final do relacionamento.

Em outubro de 2003, internado em um hospital psiquiátrico em Piraquara, ele confessou que matou o cunhado – de um relacionamento anterior ao da atual ex-mulher-, Sérgio Nimietz, 44 anos, com um tiro na testa. O crime aconteceu na casa da vítima, na Rua Brasil para Cristo, Boqueirão. Segundo apurado pela polícia na época, Gilson, que seria um marido ciumento e possessivo, telefonava para a mulher e também fazia ameaças para que ela retornasse dos Estados Unidos, onde morava. Ele inclusive teria prometido matar toda a família de sua mulher, se ela não voltasse. Depois do crime, ele mesmo se internou no hospital psiquiátrico, sob a justificativa que era depressivo e tinha tendências ao suicídio.

 

Edição: Veja Timon

Imagem/via: CNG

Comentar via FaceBook

Comentários

Deixe uma resposta