“Peixeiros” fora de seu posto gera prejuízo as familias

"Peixeiros" fora de seu posto gera prejuízo as familias  Treze famílias que viviam da venda de peixes há mais de 40 anos na entrada de Timon – à margem da linha férrea -, foram desamparados pelo poder público, que lhes deu às costas e todos eles – sem exceção estão com as “mãos na cabeça” sem saber para onde ir.

Cumprindo determinação do Tribunal Federal da 1ª Região, seção Judiciária de Caxias/MA, que garantiu reintegração de posse à Ferrovia Transnordestina Logística S.A, que alegou a desobediência dos limites permitidos da linha férrea por parte dos comerciantes que trabalhavam na feira de peixes em Timon, um grande aparato, composto de policiais militares, guardas municipais e até um trator, fez hoje pela manhã a remoção de todas as barracas do local.

Ontem à tarde, os comerciantes estiveram na sede da Prefeitura de Timon para conversar com o prefeito Luciano Leitoa sobre as situação, mas infelizmente, segundo relados, o prefeito não os recebeu. Segundo um dos comerciantes, que não quis se identificar, antes de decisão de hoje, eles já haviam conversado com o secretário de Agricultura, que prometeu ajuda-los, mas que nenhuma espécie de ajuda foi patrocinada a eles por parte do poder público, ou diretamente pelo secretário ou pelo prefeito.

A venda de peixes no local é uma tradição que vinha se mantendo há mais de 40 anos. As pessoas que viviam de venda de peixe retiravam do local o sustento para suas famílias. A feira de peixes também vinha passando por várias gerações passando de pai para filho e até netos.

Sem resistência

Nenhum dos comerciantes resistiu a decisão da Justiça, mas garantem que irão ocupar outro espaço próximo ao local. “Nós não podemos sair desse local, daí a necessidade do prefeito nos garantir um espaço próximo, senão vamos invadir um a área”, disse um dos comerciantes.

O blogdoribinha conversou com o oficial da PM que estava no comando da operação. Ele nos disse que a presença da PM seria para dar garantias ao trabalho do oficial de Justiça e que não houve qualquer resistência dos ocupantes do local e nenhum incidente foi registrado.

Um trator fazia a retirada das barracas e alguns pessoas ajudavam na remoção das barracas de forma mais cuidadosa para não perder o material empregado nas barracas, pois eles esperam aproveitá-los em outro local ainda hoje.

Apesar de não haver nenhuma resistência, o trânsito no local ficou um caos, pois o Departamento de Trânsito interditou a via de acesso à Timon pela Avenida Piauí e a Ponte Metálica no acesso Timon\Teresina foi interditada causando transtornos e caos no trânsito entre as duas cidades.

Prejuízos

A remoção dos comerciantes da feira do peixe amargaram um grande prejuízo. Toda a mercadoria ficou exposta e os poucos clientes que estavam no local na hora da ação da justiça não puderam mais comprar os peixes, que na sua grande maioria,  são comercializados em valores menores que os mercados públicos e as casas especializadas.

 

Edição: Veja Timon

Imagem/Fonte: Blog do Ribinha

Comentar via FaceBook

Comentários

Deixe uma resposta