Após reunião, professores do PR continuam em greve

spot_img
Compartilhe:

imagens-simulados-provas  Após longa reunião com o secretário chefe da Casa Civil do Paraná, Eduardo Sciarra, na tarde de hoje (19), os professores das redes estadual e municipal de ensino básico decidiram continuar a greve, que teve início no dia 9 de fevereiro, data em que estava programada a volta às aulas de quase 1 milhão de estudantes. Mesmo assim a categoria avalia que houve vitórias com a negociação desta quinta-feira.

Segundo o Sindicato dos Professores das Redes Públicas Estadual e Municipais do Paraná (APP – Sindicato), 65 mil professores e 27 mil funcionários da Educação estão parados. Dezenas de educadores estão acampados no Centro Cívico de Curitiba, onde fica a sede do governo do Estado e a Assembleia Legislativa do Paraná. Segundo a APP-Sindicato, mesmo se a categoria resolvesse suspender a greve, não teria infraestrutura básica para o trabalho e mão de obra o suficiente.

Veja Também:

Na reunião, o governo assegurou à categoria que “não enviará nenhum projeto que suprima direitos dos trabalhadores” para a Assembleia Legislativa do estado. A promessa diz respeito a propostas de redução de gastos do governo estadual enviadas ao Legislativo, que incluíam a mudança da previdência dos servidores públicos, a redução do anuênio e mudanças no plano de carreira dos professores.

Segundo o APP – Sindicato, a questão do fundo previdenciário também foi abordada no encontro. Sobre o tema, o sindicato disse que o governo assumiu o compromisso de não enviar projetos que tratem da previdência sem antes discutir com o Fórum das Entidades Sindicais.

O pagamento de atrasados e salários, inclusive de terceirizados que foram dispensados, também foi discutido na reunião. Quanto a isso, o governo informou que no dia 24 de fevereiro pagará R$ 82 milhões referentes a esta dívida, mas o governo manteve a proposta relacionada ao adicional de férias, na qual quem tirou férias nos meses de novembro e dezembro receberão no final de fevereiro e os que tiraram férias este ano, receberão em duas vezes: metade em março e a outra em abril. Segundo os grevistas, o governo deve R$ 340 milhões aos educadores.

No próximo sábado haverá uma reunião do conselho do sindicato para avaliar as propostas do governo e decidir quando será a próxima assembleia dos professores.

O estado diz que nos últimos quatro anos contratou 21 mil professores e pedagogos e que a carreira de professores da rede pública estadual do Paraná teve aumento salarial de 60%  e ampliação de 75% na hora-atividade no mesmo período.

 

Edição: Veja Timon

Via: Agência Brasil

Compartilhe:
Veja Timonhttps://www.vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Morre “Flávio Jubileu” figura lendária de Timon

A deputada Socorro Waquim lamentou a morte de Flávio Jubileu. Após ter sido anunciada sua morte por várias vezes, realmente hoje, 27, foi anunciada e...

Em evento especial, Câmara de Timon debate sobre suicídio e violência contra a mulher

O evento foi organizado pela vereadora petista Da Luz do 7 Estrelas. Nesta terça-feira, 26, foi realizada na Câmara Municipal de Timon um evento para...

Adolescentes da Funac participarão de ação social na Casa do Idoso em Timon

Adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa no Centro Socioeducativo de Semiliberdade de Timon, unidade da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), participarão, nesta...