Consumidores reclamam de aumento da gasolina

spot_img
Compartilhe:

A gasolina, o diesel e o etanol estão mais caros em postos de gasolina de Brasília. O aumento de R$ 0,22 por litro da gasolina e de R$ 0,15 por litro do diesel, que começou a valer no domingo (1º), já chegou ao bolso do consumidor. A reportagem da Agência Brasilpercorreu vários postos da capital e verificou que o preço do litro da gasolina subiu para até R$ 3,55.

O reajuste é resultado de medidas de elevação de impostos, anunciadas em janeiro pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Segundo ele, o objetivo é obter este ano R$ 20,6 bilhões em receitas extras. A maior arrecadação virá da elevação do Programa de Integração Social e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social sobre os combustíveis.

Na semana passada, segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a média do preço do litro de gasolina em Brasília era R$ 3,17. A maioria dos postos reajustou o litro para R$ 3,45 – um aumento de R$ 0,28. No único posto visitado que manteve o preço antigo (R$ 3,16) havia fila para abastecer.

Para aproveitar o preço, o fotógrafo André Oliveira decidiu encher o tanque do veículo. “Ainda está na metade, mas passei e vi que o preço está menor do que nos outros postos. O litro da gasolina ficou caro demais, já vi até de R$ 3,55”, disse. Segundo a gerente, Ana Paes, o posto ainda guarda gasolina comprada com o preço antigo, mas o aumento vai ser “inevitável”.

O grupo de amigos no celular do funcionário público Allan Amancio virou um meio de trocar informações de onde a gasolina está mais barata. “Sempre que um perceber que tal posto ainda está no preço antigo, avisa para os outros. Assim, todo mundo economiza. Mas a verdade é que este aumento foi um absurdo. Enquanto em todo o mundo o preço do barril de petróleo vem caindo, no Brasil a gasolina aumenta”, afirmou.

Quem gastava R$ 158,50 para encher um tanque de 50 litros, precisa agora desembolsar em torno de R$ 172,50. Uma aumento de R$ 14 que faz diferença no orçamento, segundo o brigadista Gilberto Valério. “No início do ano, já é comum aumentar os gastos e, desta vez, teve o da gasolina. Ficou caro demais. Esses centavos fazem falta no fim do mês”.

O Sindicato dos Postos de Combustíveis do Distrito Federal disse que não se posiciona sobre os preços praticados pelo varejo e que “o preço de bomba ao consumidor é fixado de forma livre por cada posto, dentro de sua visão de mercado, levando em consideração os reajustes repassados pelas distribuidoras”.

Em São Paulo, segundo a ANP, a média do preço do litro de gasolina era R$ 2,89. Com o aumento, está variando entre R$ 3,09 e R$ 3,19, podendo passar desse valor. No Rio de Janeiro, o litro da gasolina custava, em média, R$ 3,18. O reajuste elevou os preços para valores a partir de R$ 3,40, chegando, em alguns casos, até a R$ 3,99.

 

 

Edição: Veja Timon

Fonte: AG. Brasil

Compartilhe:
Veja Timonhttps://www.vejatimon.com
O Veja Timon foi desenvolvido para suprir os timonenses com informações de um modo geral, onde a política não venha ser o foco central. Um site diversificado e imparcial, trabalhamos para levar um conteúdo de relevância para cidade. Veja Timon - Junto Com o Povo

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Em evento especial, Câmara de Timon debate sobre suicídio e violência contra a mulher

O evento foi organizado pela vereadora petista Da Luz do 7 Estrelas. Nesta terça-feira, 26, foi realizada na Câmara Municipal de Timon um evento para...

Adolescentes da Funac participarão de ação social na Casa do Idoso em Timon

Adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa no Centro Socioeducativo de Semiliberdade de Timon, unidade da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), participarão, nesta...

Compartilhamento de mensagens de WhatsApp pode gerar dever de indenização  

Advogado explica que há a garantia ao sigilo das comunicações pelo artigo 5º da Constituição, além do aplicativo proporcionar a segurança das mensagens...