GeralTeresina

Firmino fala das ações adotadas para o combate ao coronavírus em videoconferência com o Ministério Público

O chefe do executivo teresinense revelou preocupação com os altos índices de descumprimento das orientações relacionadas ao isolamento social.

Na tarde da última quarta-feira, o prefeito Firmino Filho participou de uma videoconferência com representantes do Ministério Público Estadual para relatar as ações que estão sendo adotadas pela Prefeitura de Teresina no combate à proliferação do novo coronavírus. O chefe do executivo municipal revelou preocupação com os altos índices de descumprimento das orientações relacionadas ao isolamento social.

Firmino Filho pontuou que o panorama da pandemia é preocupante em todo o mundo e que a velocidade de propagação do novo vírus é assustadora. “É um vírus que ainda se tem muito desconhecimento em relação a ele. O que sabemos é da sua velocidade de propagação e do rastro de destruição que ele tem deixado, inclusive em países de primeiro mundo. Os países que ignoraram as recomendações de isolamento social estão hoje enfrentando as conseqüências”, lamentou.

O prefeito destacou que as medidas adotadas até agora são para estruturar a rede de saúde ea evitar um colapso no sistema. A capital já registra mais de 60 casos da doença e cinco óbitos. “Sabemos que há uma subnotificação, até porque a testagem não está acontecendo a contento. Temos casos no Ceará, por exemplo, que é vizinho e hoje não tem mais leitos disponíveis para receber os casos. São situações que preocupam”, pontua, acrescentando que Teresina está estruturando dois hospitais de campanha para receber pacientes vítimas do vírus: um localizado no centro de badminton da Universidade Federal do Piauí, com capacidade para instalação de 90 leitos, e outro no Lar da Fraternidade, com capacidade para 30 eleitos.

A procuradora geral de Justiça, Carmelina Moura, explicou ao prefeito que, desde o dia 13 de março, o Ministério Público instituiu um gabinete institucional para acompanhar as ações de combate ao coronavírus em todo o Estado. Nove grupos de trabalho com eixos temáticos segmentados foram criados para acompanhar de perto o trabalho que está sendo desenvolvimento no âmbito do Estado e também dos municípios. “O Ministério Público tem acompanhado de perto essas ações e se colocando a disposição para ajudar nesse trabalho”, reforçou.

A promotora Claudia Seabra questionou o prefeito sobre a previsão do pico da doença atingir a capital, enquanto a promotora Marluce Evaristo perguntou sobre a assistência que tem sido dada aos idosos. O prefeito destacou que as estimativas são de que o auge da doença aconteça em meados de maio e pediu o apoio do Ministério Público no sentido de orientar que os idosos evitem as aglomerações em agências bancárias e casas lotéricas.

Outro questionamento foi em relação ao trabalho de fiscalização das medidas que foram estabelecidas nos decretos municipais, sobretudo em relação aos estabelecimentos que prestam serviços considerados não essenciais. O prefeito destacou que as equipes da Guarda Municipal tem atuado firmemente para coibir essas infrações e trabalhado em parceria com a Polícia Militar para evitar as aglomerações, inclusive com trabalho educativo.

Comentar via FaceBook

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.