GeralTeresina

Levantamento indica baixo risco de infestação do Aedes aegypti em Teresina

Temos que manter essa vigilância com objetivo de iniciarmos 2020 sem problemas nos nossos ambientes”, diz a gerente.

Teresina está em baixo risco para uma epidemia de dengue, zika ou chikungunya. É o que diz o quarto e último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti divulgado hoje (10) pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).

A pesquisa, realizada entre os dias 30 de setembro e 04 de outubro, registrou um Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – de 0,2% na capital. “O resultado servirá de base para que o Ministério da Saúde faça uma análise e divulgue quais cidades estão em situação de risco para uma eventual epidemia de dengue, zika e chikungunya”, explica a gerente de Zoonoses da FMS, Oriana Bezerra.

Para Oriana Bezerra, a boa classificação ratifica o trabalho intenso que a FMS tem realizado no combate ao Aedes aegypti. “Ela é fruto do trabalho de rotina dos agentes de endemias, bem como das ações de intensificação que são realizadas durante todo o ano, como a Faxina nos Bairros”, diz a gerente, referindo-se à atividade semanal de limpeza e educação que a Prefeitura de Teresina promove em diferentes zonas da cidade.

A gerente de Zoonoses chama atenção para que a população não deixe de tomar os cuidados básicos de combate ao mosquito, mantendo assim os bons índices. “Não podemos, de forma alguma, deixar de lembrar a importância da manutenção de nossos ambientes, sejam de trabalho, de lazer ou então residencial e espaços públicos, para que não tenham potenciais criadouros ou os próprios criadouros do Aedes. Temos que manter essa vigilância com objetivo de iniciarmos 2020 sem problemas nos nossos ambientes”, finaliza a gerente.

Comentar via FaceBook

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.