GeralTimon

Líder da oposição diz que fala de presidente do IPMT durante reunião atinge toda Câmara

Juarez Morais disse que ao chamar os vereadores de irresponsáveis, Lázaro atinge a Casa Legislativa

Tempo de Leitura: 2 minutos

Usando a Tribuna da Câmara, na última segunda-feira, o vereador Juarez Morais, líder da oposição, teceu críticas ácidas ao presidente do IPMT  Lázaro Martins, que teve sua fala durante reunião administrativa com a prefeita Dinair Veloso, na semana passada, da qual Juarez Morais participou para tratar também do desconto de 14 por cento nos proventos de aposentados e pensionistas vinculados àquele instituto de previdência, replicada pelo vereador Thiago Carvalho, em discurso na Câmara.

Segundo o vereador líder da oposição, durante a reunião, o presidente do IPMT Lázaro Martins teria dito “que os vereadores que votaram a lei foram coniventes, fugindo de suas responsabilidades e que são irresponsáveis quando usam a tribuna para falar de um assunto que não se tem conhecimento”, o vereador ressaltou que a mesma fala do dirigente a audiência com a prefeita Dinair Veloso, foi feita em discurso do vereador Thiago Carvalho, da base governista, durante a sessão plenária de segunda-feira passada, o que reascendeu seu direito de falar mais uma vez sobre o assunto, disse Juarez.

“É muito triste a gente ser conivente com muitas situações, mas subserviente ainda é pior, coloquei nessa tribuna com muita propriedade que não votei na lei. Se você pegar a filmagem no dia da votação, pode ver que eu disse: quero manifestar meu voto senhor presidente, que artigo tal da lei tal, não sou favorável, os demais voto favorável, mas o vereador Thiago não teve a capacidade de dizer isso aqui. O vereador não teve a capacidade de dizer que o município tem um débito com o IPMT de mais de 80 milhões de reais. Ele não teve a capacidade de dizer que foi um parcelamento feito aqui com 150 parcelas no valor de 556 mil reais, que o município tem que passar esse valor, rigorosamente, a partir de janeiro deste ano”, reafirmou Juarez.

O vereador duvidou de que esses repasses do parcelamento estejam sendo cumpridos e solicitou do vereador governista o extratos dos pagamentos, pois quando se fala em transparência, isso é uma obrigação, disse. Quanto à fala do presidente do IPMT, Juarez foi ainda mais ácido em seu discurso.

“Quando ele fala do vereador, ele está falando da instituição e sequer, contribui com um centavo para o IPMT, pois ele não é efetivo. Ele recebe um salário superior a 10 mil reais e o imposto recolhido não vai para o IPMT e sim para o INSS, então ele ajuda a quebrar o instituto, pois ele está tirando dentro da folha do IPMT, mas ele não contribui, olha o tamanho da incoerência dentro dessa administração. Os servidores inativos e aposentados estão tirando 14 por cento dos seus salários e colocando para o IPMT, enquanto que o diretor, que ganha mais de 10 mil reais, os 14 por cento dele vai para o INSS. Por isso, nós vamos trabalhar um projeto de lei, estou estudando a legalidade, para que pelo ,menos dentro da gestão municipal, a direção e parte administrativa do IPMT seja constituída com funcionários efetivos para ajudar aquela instituição, pois da forma que está, a tendência é quebrar ainda mais do que está quebrada”, disse Juarez.

O líder da oposição, reafirmou também, que o nível de discussão durante  reunião da última quarta-feira com a prefeita, foi um nível alto, mas infelizmente, quem baixou o nível foi o diretor do IPMT chamando os vereadores que falaram nessa tribuna da irresponsáveis, finalizou Juarez.

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.