Vereador de Timon que sacou benefício do governo federal esclarece sobre o assunto

spot_img
Compartilhe:

Depois da grande polêmica envolvendo a vereadora petista do município de Timon, Da Luz do 7 Estrelas, que admitiu ter sacado em 2020, quando era Conselheira Tutelar, recursos do Programa Social Bolsa Família de janeiro até o mês de novembro, desta vez outro vereador está  na lista por ter sacado dinheiro do auxílio emergencial destinado pelo governo federal aos profissionais liberais.

O assunto de que Ulysses Waquim (PSD), vereador, vice-líder  da oposição e presidente da CPI da Covid, de que teria sacado 1 mil e 200 reais do auxílio emergencial no ano passado, foi suscitado esta semana em grupos sociais, após o fato com a vereadora petista ter grande repercussão nas redes sociais.

Assim como fez com a vereadora petista, o blogdoribinha procurou o vereador Ulysses Waquim para saber dele alguns esclarecimentos sobre esses saques, que a princípio e à luz dos esclarecimentos, não teve ilegalidade nenhuma, pois Ulysses Waquim, no período em que recebeu o auxílio, ainda não era vereador da cidade, embora muita gente entenda que como empresário e dono de dois negócios registrados, além de outros na informalidade, Ulysses tenha um lastro maior que outras pessoas, que durante a pandemia não tiveram nem como sobreviver com os 600 reais destinados pelo governo federal como auxílio emergencial.

Antes que conversar com o vereador Ulysses Waquim, o blog fez um pesquisa no site da Caixa Econômica para saber a veracidade das informações que circulavam nas redes sociais. De acordo com a pesquisa, Ulysses Almeida Waquim deu entrada com requerimento solicitando o auxílio emergencial no dia 17 de abril de 2020; no dia 18 de abril seu pedido foi analisado pelo sistema Dataprev e no dia 24 foi enviado para a Caixa Econômica sendo pago a primeira e segunda parcelas de 600 reais nos dias 04 e 20 de maio de 2020, respectivamente. No 24 de junho ao lado da parcela de 600 reais creditada na conta beneficiário aparece a palavra “CANCELADA” e nas duas parcelas seguintes no dia 23 de abril aparece a palavra “Prevista”.

TEMA SENSACIONALISTA E SEM COMPROMISSO COM A VERDADE DOS ALIADOS DA PREFEITA.

Eu não era vereador em abril de 2020. REPITO: Eu não era vereador! Sou um CIDADÃO e à época apenas um empreendedor da cidade de Timon. Hoje estou vereador, mas, como profissional liberal, gerava emprego e renda em Timon. Repito: no início da pandemia em 2020, em abril, não era vereador. Iniciei meu mandato em janeiro de 2021. Eu arco com minhas próprias responsabilidades financeiras.

Com o surgimento da pandemia, todas as pessoas, especialmente os profissionais autônomos, viram-se desesperados com o fechamento do comércio de uma hora para outra. Todos fomos pegos de surpresa. Todos sem renda e preocupados! Trabalhadores demitidos! E comigo, que sou empreendedor, não foi diferente. Portanto, em abril solicitei o auxílio diante do comércio fechado e com tantas obrigações que tínhamos para serem cumpridas. Foram creditadas apenas duas parcelas. O intuito foi conseguir manter minhas obrigações e, assim, os negócios vivos junto aos funcionários. Até porque naquele momento o auxílio era a única solução dada pelo governo aos trabalhadores e empreendedores. Tentei não fechar meus dois negócios, mas, infelizmente, mesmo após muitos esforços, fui obrigado a fechá-los devido à crise trazida pela pandemia.

Na época da criação do auxílio emergencial, por meio do Decreto Federal, não era proibido  pessoas com patrimônio declarado requeressem o auxílio como alguns insinuaram erradamente. Proibição só passou a existir em setembro de 2020 e, nessa época, eu não pedi o auxílio.

– Não sou diferente de nenhum outro cidadão que seja profissional liberal, pois também enfrentei dificuldades e também tenho deveres e direitos! A crise foi para todos! Hoje, estando vereador, sou agente público e, portanto, não poderia solicitar o auxílio!

Friso que nunca desrespeitei alguém na minha cidade e nunca cometi crime! Tenho a minha conduta social com os pés no chão e continuarei firme nela!

Esse assunto sensacionalista desvirtua as informações com intuito de exposição política porque sou contra o atual governo da minha cidade que oprime o povo! Aqueles que tentam me injuriar ou difamar com essa situação, já estou tomando as medidas judiciais cabíveis!

Abaixo a integra da entrevista feita pelo blogdoribinha com  o vereador

Ulysses Waquim: Ribinha, essa foi resposta tinha feito à época. Minhas considerações aí.
blog doribinha: O senhor fez o cadastro como pessoa física, mas fala de negócios que tinha na época e que foram fechados. Que negócios são esses. O senhor pode citar?
blogdoribinha: Outra questão que queria esclarecer é o fato do senhor ter recebido somente as duas parcelas, já que como o senhor afirma, tinha direito, mas pediu o cancelamento? Por que?
Ulysses Waquim: O decreto previa para profissionais liberais e autônomos, por isso a inscrição era feita por pessoas físicas. Na época, meus negócios eram em relação aos empreendimentos “Posto 7 Auto-lavagem” e “Quitanda Choperia”.
Ulysses Waquim: Porque no primeiro momento os negócios foram afetados imensamente e todos foram pegos de surpresa. Durante os meses iniciais, foi o tempo em que decidimos outros caminhos para os empreendimentos e não mais solicitei renovação do auxílio.
Ulysses Waquim: Por último, um esclarecimento: qual a conduta, que está sendo imputada a mim, para eu poder me posicionar melhor quanto às informações… blogdoribinha: Por mim, nenhuma, somente esclarecimentos sobre o assunto. Blogdoribinha: Obrigado pelos esclarecimentos Ulysses Waquim: Obrigado também meu amigo, pelos esclarecimentos !!

Compartilhe:

Talvez você queira ler também

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Relacionados

- Propaganda -spot_img
- Propaganda -spot_img

Últimas

Cego em tiroteio: Weverton Rocha grava vídeo ao lado de Queiroga e inspirado na imagem de Bolsonaro

Preterido por Flávio Dino na eleição estadual, o senador Weverton gravou um vídeo com Marcelo Queiroga e com um quadro de Bolsonaro ao fundo O...

Câmara entrega título de cidadania ao empresário Ilson Mateus em cerimônia bastante prestigiada

A homenagem ao empresário foi proposta pelo vereador Uilma Resende, presidente da Casa, e foi aprovada por unanimidade por todos os parlamentares. Na noite da...

Socorro Waquim pontua trabalho de suas gestões nos empreendimentos que se instalam em Timon

Signatária do projeto de lei aprovado em 2019, que concedeu Titulo de Cidadão Timonense ao bilionário Ilson Mateus, dono do conglomerado de lojas Grupo...