GeralTeresina

Moradores reclamam de descaso na implementação de academia no Residencial Santa Sofia

As obras de implantação foram iniciadas em mais deste ano e estão paralisadas

A placa informa que a academia foi iniciada e maio deste ano, mas as obras estão paralisadas
Até agora foi realizado o trabalho de terraplanagem para instalação dos equipamentos
Os moradores elogiam a escolha do local em meio a muito verde, mas reclamam da paralisação das obras

Moradores do Residencial Santa Sofia, na Zona Norte de Teresina, reclamam da paralisação das obras de “Implementação de Academia Popular” na Praça Principal do bairro. As obras, que segundo a placa de informações fincadas pela construtora responsável, foram iniciadas no dia 05 de maio deste ano e concluídas em 270 dias depois, estão paralisadas e desde o serviço de terraplanagem da área escolhida para implantar os equipamentos que os moradores não constatam a falta de movimento de trabalhadores no local.

De acordo ainda com a placa, a empresa responsável pela obra vai receber cerca de 57 mil reais recursos destinados por emenda parlamentar, mas os trabalhos andam. Os moradores reclamam por temer que obra se torne um elefante branco.

O Residencial Santa Sofia está localizado entre os Conjuntos Mocambinho e ponte Leonel Brizola, possui 616 casas e cerca de 1.800 moradores que esperam por um local adequado para fazer seus exercícios físicos e auxiliar no controle e combate às doenças provocadas pela falta de exercícios físicos como a obesidade e o sedentarismo.

Os moradores elogiam a posição da Prefeitura de Teresina na escolha do local, ao ar livre e muito verde, por outro lado, reclamam do desleixo e descaso da construtora que não conclue a obra dentro de um prazo muito extenso para a uma academia de pequeno porte.

Todos os moradores da região que necessitam e gostam de fazer exercícios têm que andar quilômetros até a Praça do conjunto Mocambinho para ter acesso aos equipamentos, nem sempre disponíveis por conta da grande demanda de moradores que procuram o setor.

Comentar via FaceBook

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.