Blog do RibinhaGeral

Nos primeiros 100 dias da Gestão Dinair Veloso entrou quase um milhão por dia nos cofres da Prefeitura

Sem ter muito o que comemorar, gestão se assusta com o dados de uma herança maldita e com uma CPI prestes a ser instalada para apurar um rombo de 192 milhões de reais

Os números da dívida: 192 milhões; uma CPI prestem a ser instalada, devem estar assustando a prefeita Dinair Veloso

De janeiro deste ano até o último dia 10 de abril, que marcam os 100 primeiros dias da gestão de Dinair Veloso, entrou cerca de 99 milhões, 997 mil reais nos cofres da Prefeitura de Timon. A soma milionária, se calcularmos, daria um valor de quase um milhão por dia disponíveis nos cofres. Isso de acordo com o Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação (DAF) do Banco do Brasil, que enumera mensalmente todos os recursos que entram na conta dos municípios destinados pelo governos estadual (ICMS) e federal (FPM, Fundeb, FEP, ITR, IPI, Simples Nacional, CID, CEM, Fundo Saúde, dentre outros.

O DAF BB é muito fácil de ser acessado por qualquer cidadão que queira constatar quanto de recursos entra nos cofres das prefeituras brasilerias nos dias 10, 20 e 31. Basta usar a biblioteca eletrônica google e escrever DAF Banco do Brasil, depois colocar o nome do município beneficiário dos recursos e selecionar por data.

No mês de janeiro foram depositados de recursos nos cofres da Prefeitura 33 milhões 632 mil reais; em fevereiro só teve 28 dias a soma ainda foi maior: 34 milhões 384 mil reais; em março 23 milhões 531 mil e no último dia 10, foram depositados 8 milhões 449 mil reais.

Mas, apesar dessa dinheirama toda, a Prefeita Dinair Veloso, ainda não anunciou nenhuma medida de impacto para o município. Algumas cestas de alimentos, através do Fundo Municipal de Assistência Social, foram distribuídas para pessoas assistidas pela Semdes. Na secretaria de Educação, pasta que foi dirigida pela prefeita, nenhum anúncio de que serão distribuídas merenda escolar para os alunos através de kits foi anunciada, apesar da economia dos recursos com as aulas não presenciais. Os profissionais da linha de frente lotados: nos hospitais e que estão na linha de frente do combate e prevenção do coronavírus, assim como também os da área de segurança, limpeza; dentre outras áreas, ainda não receberam qualquer auxílio emergencial e a prefeitura atolada em dívidas com os terceirizados e fornecedores está prestes a ser investigada por uma CPI que tramita na Câmara que vai apurar um rombo na dívida pública de 192 milhões de reais.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.