Blog do RibinhaGeral

Vereador envia ao blog resultado de teste sobre uso de drogas. Deu tudo negativo

Ramon Junior foi "chamado de cheirador de cocaína" pelo lider do prefeito

Chamado de “cheirador de cocaína” durante discussão acalorada na Câmara de Timon, no último dia 1º  pelo líder do governo Leitoa José Carlos Assunção, o vereador e vice-presidente da Mesa Diretora Ramon Junior, submeteu-se no dia 2, um dia após a fala do vereador governista, à exame toxicológico, cujo resultado saiu na última sexta-feira, 19 tendo sendo negativo para inúmeras substâncias psicoativas, inclusive cocaína.

O vereador fez questão de enviar o resultado ao blog por conta de que, foi esse veículo de comunicação que publicou e deu ampla repercussão à discussão entre os dois, inclusive, chamando à atenção da imprensa nacional.

O vereador José Carlos Assunção usou o termo “cheirador de cocaína” após intervenção durante fala de Ramon Junior que fazia  criticas ao sistema de saúde do município, e segundo ele, a precariedade dos atendimentos em plena pandemia.

Ramon Junior, também chamou o vereador de ladrão  e pilantra entre os adjetivos desferidos na discussão entre os dois.

Quadro elaborado e publicado pelo blogdoribinha no post da denúncia em março de 2018

Promotoria de Timon investiga denuncia de contrato de caçamba da mulher do líder

Desde 2018 que a Promotoria Pública de Timon investiga denúncia de que veículo de propriedade da mulher do vereador José Carlos Assunção, Maria do Socorro Assunção, consta na lista e em planilha de veículos contratados pelo Prefeitura de Timon, através de processo licitatório, para a coleta de lixo, enviadas ao TCE em 2016. O vereador nega a participação de sua esposa.

O fato foi denunciado na imprensa e vereadores de oposição usaram a tribuna para pedir explicações ao vereador líder do governo na Casa. Em 2019, o o Promotor Fábio Menezes de Miranda, que respondia pela 5ª Promotoria de Justiça Especializada em Timon, CONVERTEU nos termos do art. 4º, § 1º, e § 4º do Ato Regulamentar Conjunto nº 05/2014 – GPGJ-CGMP, e do art. 1.º, § 5.º da Resolução n.º 23 de 17 de setembro de 2007 do CNMP, o presente PROCEDIMENTO PREPARATÓRIO em INQUÉRITO CIVIL, destinado a colher mais elementos acerca dos fatos acima mencionados no procedimento preparatório instaurado para apurar possível improbidade administrativa na execução do contrato nº 011/2017, firmado entre a prefeitura do município de Timon e a empresa Sousa Campelo Transportes Ltda, referente veículos utilizados na coleta de resíduos sólidos.

Sempre que o assunto é levantado na Câmara, o vereador José Carlos Assunção parte para agressão contra aqueles que usam a denúncia em seu discurso.

Sobre drogas e o governo

A relação do governo e as drogas não é de hoje e sempre está envolto em denúncias ou outros atos. Em 2014, o governo de Luciano Leitoa enviou à Câmara Municipal proposta de alteração da Lei 023 de 28 junho de 2011, que institui o Sistema Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas no município  e criava o Fundo Municipal de Prevenção à Drogas e entre as discussões do projeto lei tinha o artigo que versava sobre a autorização de plantio, a cultura e colheita da maconha para fins medicinais ou científicos. O projeto foi retirado de pauta e nunca mais o governo voltou a falar sobre o assunto.

Em 2015, um dos assessores do prefeito Luciano Leitoa foi pego numa blitz com pose de maconha. O fato repercutiu na imprensa. Além de assessor especial do prefeito Luciano Leitoa, André Veras aparecia como um dos doadores de campanha do deputado Rafael Leitoa.

Em 2016, o prefeito Luciano Leitoa foi até o delegacia geral, em Timon e denunciou que está sendo alvo de um grupo de “fakes” que estavam produzindo notícias falsas contra sua integridade, inclusive divulgado nos grupos que ele era usuários de drogas.

Em 2017, por ocasião da entrega de medalha ao Desembargador Bernardo Rodrigues, o prefeito Luciano Leitoa em seu discurso relatou ao magistrado sobre a denúncia que teria feito contra as “fake news” informando que era alvo de boatos sobre o uso de drogas.

Em  novembro de 2019, em debate entre os vereadores José Carlos Assunção e Anderson Pego, num dado momento de sua fala, Anderson chamou Assunção de “locador de caçambas’, no que o vereador, novamente interrompendo orador disse: “mas não cheiro cocaína” e Anderson em resposta disse: “Quem cheira cocaína é seu líder”.

Comentar via FaceBook

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.