Blog do RibinhaGeral

Sindicato dos Jornalistas diz que prisão de jornalista é injusta e espera pela reparação

De acordo com a nota, o Sindjor acredita na elucidação dos fatos e das acusações

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí (Sindjor-PI) diante da prisão preventiva do jornalista Arimatéia Azevedo, ocorrida durante operação do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) da Polícia Civil do Piauí, realizada na manhã do dia 12 de junho de 2020, entende que, numa democracia, mesmo as de menor qualidade e aquelas postas à prova e a risco, a prisão sempre deve ser exceção, nunca a regra. Daí porque, em que pese ser esta uma decisão judicial, o Sindjor-PI insurge-se contra a prisão do jornalista, proprietário do Portal AZ. Trata-se de medida desproporcional, sobretudo considerando ser a pessoa privada de liberdade um profissional com trabalho e residência fixos, reconhecido respeito de seus pares e da comunidade.

Acresça-se ao descabimento da prisão o fato de o portal de notícias do jornalista ter sido submetido a medidas restritivas à veiculação de dados relacionados à ação judicial, a qual tramita em segredo de Justiça, fator que se mostrou impeditivo ao amplo direito de defesa e ao contraditório.

Esperamos que a decisão judicial monocrática em primeira instância possa ser reformada em instância superior, de modo a reparar o que este Sindicato considera uma injustiça contra o jornalista Arimatéia Azevedo.

O Sindjor-PI acredita na elucidação dos fatos e das acusações, e que a Justiça seja feita, predominando o Estado Democrático de Direito, garantia do respeito das liberdades civis, dos direitos humanos e pelas garantias fundamentais, através do estabelecimento de uma proteção jurídica.

Teresina, 12 de junho de 2020
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí

Comentar via FaceBook

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.