GeralTeresina

Iniciada a obra do Parque Floresta Fóssil e Museu de Paleontologia de Teresina

Com investimento de aproximadamente R$ 12 milhões através do CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), o prazo de execução é de 12 meses.

Já está sendo implantado o canteiro da obra do Parque Ambiental Floresta Fóssil, que abrigará um Museu de Paleontologia, na Avenida Marginal Poti Sul, próximo à curva do Cfap. Com investimento de aproximadamente R$ 12 milhões através do CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), o prazo de execução é de 12 meses.

O Parque Ambiental da Floresta Fóssil do rio Poti constitui um acervo paleontológico raro, que contém troncos datados da era Paleozoica, com aproximadamente 270 milhões de anos. O Parque guarda informações importantes que representam fontes de pesquisa para estudiosos, sendo o único no mundo, dentro da zona urbana, com troncos em posição de vida ou de crescimento (vertical), o que significa que se tornaram fósseis no lugar exato em que viveram.

O museu terá salão de exposição, café, banheiros, loja, parte administrativa, apoio aos pesquisadores, auditório e plataforma de observação. O projeto conta ainda com um Centro de Apoio ao Visitante (leste), um prédio administrativo e de manutenção, com estacionamento interno interligado a trilhas que dão acesso aos equipamentos.

A engenheira da SDU Centro Norte, Adélia de Melo, explica que a obra da Floresta Fóssil ainda está em fase inicial. “Estamos com os tratores no local fazendo a limpeza ada área onde será construído o prédio administrativo, mas vencida essa etapa daremos início a obra propriamente dita”, enfatiza.

Adélia ressalta que, por se tratar de um local tombado da União, foram necessárias algumas licenças ambientais, por isso demorou um pouco para a obra começar. “Somente poderíamos iniciar os trabalhos com todas as devidas autorizações, mas agora estamos com tudo organizado. A nossa expectativa é que no segundo semestre a cidade poderá contar com mais essa área de lazer”, acrescenta.

Ainda segundo a engenheira, a infraestrutura vai proporcionar um local apropriado para a conservação das peças e para a sua exposição turística. “Todo o nosso trabalho será voltado para a conservação desse patrimônio arqueológico e paleontológico. Todo fóssil que for encontrado será guardado e conservado para pesquisadores, pois esse será um local voltado para que esse público conheça essas peças que existem há mais de 270 milhões de anos”, finaliza.

Comentar via FaceBook

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.