Teresina

Prefeito Firmino Filho reforça que população deve permanecer em isolamento social

Ele ressaltou, durante live nas suas redes sociais,  que a prioridade no momento é salvar vidas e que a suspensão de atividades não essenciais, como comércio, continua em vigor até segunda ordem.

O prefeito Firmino Filho reafirmou nesta sexta-feira (27) que Teresina continuará obedecendo as determinações da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre o isolamento social necessário para a contenção da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Ele ressaltou, durante live nas suas redes sociais,  que a prioridade no momento é salvar vidas e que a suspensão de atividades não essenciais, como comércio, continua em vigor até segunda ordem.

“Enfrentaremos uma crise econômica, mas as restrições são necessárias. Sou economista e sei que podemos nos recuperar de uma recessão. Existem instrumentais para reavivar uma economia, mas os médicos não têm instrumental para ressuscitar uma vida”, enfatizou.

O prefeito também afirmou que, sobre a economia dos municípios e estados, a resposta virá do Governo Federal. “Já começaram a adotar medidas para amenizar os transtornos econômicos. Foi aprovado essa semana um auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais e autônomos, famílias que recebem Bolsa Famílias e donas de casa receberão R$ 1.200. Isso vai amenizar a recessão”, apontou.

No âmbito do município, o gestor afirmou que a Prefeitura vai ajudar as famílias dos alunos da rede municipal de ensino, que estão com aulas suspensas desde a semana passada. Na próxima semana, será iniciada a distribuição de 44 mil cestas básicas. Ele também mencionou a campanha que está sendo lançada para a arrecadação de cestas básicas destinadas para pessoas de baixa renda.

Firmino destacou ainda a importância de medidas restritivas para evitar colapso da saúde devido à COVID-19. “Ainda não há vacinas, não há cura, então a única alternativa que temos é o isolamento social. Se o vírus se propagar rapidamente, a quantidade de casos será tão grande que a rede hospitalar não vai dar conta e o sistema ficará caótico. As pessoas poderão morrer sem conseguir acessar o hospital. É o que está acontecendo na Itália, por exemplo”, lembrou.

Segundo o gestor, com o objetivo de aumentar essa capacidade da rede hospitalar para atender a demanda de pacientes, a Prefeitura está estudando possibilidade de transformar o Ginásio de Badminton da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em um hospital de campanha com 40 leitos para pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus. Além disso, a ASA (Ação Social Arquidiocesana) disponibilizou o prédio do antigo Lar da Fraternidade para instalação de mais 30 leitos.

Firmino finalizou a live reforçando o pedido para que a população continue com o isolamento social. “Precisamos continuar mantendo a população dentro de casa. Percebemos que nessa sexta-feira muita gente saiu e isso não é o que aconselhamos. Precisamos sair vivos desta crise. Se o país fizer boas escolhas, não tenho a menor dúvida de que vamos minimizar os custos econômicos e sociais dessa situação”, disse.

Comentar via FaceBook

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.