Blog do RibinhaGeral

Vereador destaca bloqueio de bens do prefeito Luciano Leitoa por desvio de 4 milhões do transporte escolar

O vereador, no final do seu discurso, questionou se o prefeito estão preso ou solto

A decisão da Juíza Federal de Caxias/MA, Gabriela Moura Vaz de Oliveira, que determinou a indisponibilidade dos bens no valor de mais de 4 milhões em nome do Prefeito de Timon Luciano Leitoa e de Luiz Carlos Magno da Silva dono da LC Transportes Ltda, atendendo pedido do Ministério Público Federal, que acusa o prefeito de malversação (desvio) de recursos públicos federais do FUNDEB, que deveriam ser utlizados para o transporte escolar de crianças no município de Timon, repercutiu hoje, 06, na Câmara.

O vereador Anderson Pêgo (PSDB) fez uso da tribuna da Câmara Municipal de Timon, para destacar o bloqueio de mais de R$ 4 milhões do prefeito Luciano Leitoa, feito pela Justiça Federal, atendendo a pedido do Ministério Público Federal e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

O parlamentar timonense destacou que esse bloqueio veio para “corrigir as injustiças que os nossos alunos têm passado, sem transporte escolar, sem merenda, professores sem o aumento recomendado pelo Governo Federal”, pontuou.

Anderson Pêgo lembrou ainda que a administração do prefeito Luciano Leitoa está com sérias dificuldades em honrar os compromissos com fornecedores e prestadores de serviços terceirizados, “o atraso de salários já passa de três meses”, pontuou.

Ao finalizar sua fala na tribuna o parlamentar questionou ainda a ausência de Luciano Leitoa na abertura dos trabalhos do legislativo municipal, na última segunda-feira, 04, onde o gestor deveria ter feito a leitura da mensagem do Executivo para os vereadores. “Ele não veio aqui para dar a mensagem dele, ninguém vê ele pela cidade, será que o prefeito foi preso e não fomos avisados?”, questionou o vereador. Da assessoria do vereador.

Comentar via FaceBook

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.